Total de visualizações de página

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Círculo de Debates(supra partidário) Plano Diretor 2013

Na 3ª feira, 19/02, participei desse encontro interessante lá na Câmara Municipal de São Paulo. Não pude ficar no plenário principal, o auditório Prestes Maia, de tão lotado que estava. Tinha gente sentada até no chão! Então fiquei no outro auditório e assistindo tudo no telão. Vi alguns colegas do PSOL e depois me encontrei com o Eliseu e com o vereador eleito Toninho Véspoli, que estavam na mesma sala que eu. Enfim. Quando cheguei, por volta das 19:48, Haddad estava discursando. Citou as diferenças da periferia e dos bairros mais "estruturados". Também citou a desorganização do planejamento atual e a mobilidade de deslocamento e aproximação. (eu q o diga; sai de casa às 17:30...) Ele também citou a "dependência" do Executivo pela opinião do cidadão e o Plano de Desenvolvimento Sustentável. Senti uma aproximação do Haddad, dando sua opinião e expondo a sua necessidade de aproximação com a população e dos componentes da Câmara, independente de partidos políticos. Algumas frases que me chamaram a atenção: "Estar disponível para São Paulo sem burocratização" "Desenvolver o melhor plano possível." "Vitrine de políticas públicas virtuosas." E ele retirou-se do plenário, passando a palavra ao Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano: Fernando de Melo Franco e, na sequência, Kazuo Nakano, Diretor do DEURB - Departamento Urbano, também falaria. Daí a coisa se transformou... Fernado de Melo Farnco citou as perdas das indústrias na cidade, mas o crescimento delas no estado. (Claro!!!! Com incentivos fiscais mais atraentes nas cidades do interior...) Citou números de pesquisas e blá, blá, blá... Um burocrata!!!!! Citou também o processo de Mobilidade Social: como a população está utilizando os serviços disponíveis. Citou taxa de natalidade/qualidade de vida (lembrei-me da Teoria Malthusiana) - processo demográfico com dados do I.B.G.E. Daí eu ri. E muito!!!! I.B.G.E.? Aquele órgão federal onde alguns pesquisadores "queimam" as pesquisas? Sei do que estou falando, pq já trabalhei lá e presenciei fraudes e quando eu fui denunciar, sai como a vilã... Uma observação interessante: o tom de voz desse senhor era tão agradável, que as pessoas começaram a ir embora. Era 20:07. Sabe aquela voz sem sal? E seus números e índices (como ele se impressioanava!!!! Parecia um matemático!!!) E falava da "possibilidade" e do interesse do Poder Público e quanto o mesmo está perdendo com os investimentos e transformações de certas áreas da cidade, devido a especulação imobiliária. (senti, nessa hora, que pobre NUNCA terá sua vez em adquirir sua casa própria...) Meta: revisão do Plano Diretor Plano de ocupação do solo (mais...) Planos de bairro - territorializar as áreas. Articulção de políticas setoriais. Citou as 5 secretarias: de Governo, Negócios Jurídicos, Planejamento, Finanças e Desenvolvimento Urbano. Senti que ele é muito repetitivo nas palavras e que as suas preferidas são "articulada" e "articulação". Na área dos transportes, ele citou que não é setorial, e sim, geral. Devemos ver a rua em sua totalidade: se é asfaltada, como está sua conservação, calçadas em bom estado, etc. Reurbanização e reestruturação. Citou as melhorias na qualidade de vida e as ações estruturais - Agenda de Formulação de Transformação Social. Na área da Habitação, foi observado que 40% da renda da população é adquirida no espaço doméstico. Na hora lembrei da minha querida periferia, de suas lojinhas na garagem, das senhorinhas que fazem seus quitutes, bordados... Não pensar apenas na acomodação, e sim nos espaços produtivos, na capacidade produtiva da população. (Já imaginei num lindo home office prá mim!!!!) Frase interessante: "Transformar a qualidade no cotidiano" Calçamento/urbanismo/rede sem fios/ mais árvores/menos enchentes Daí começou a falar do Arco do Triunfo. Arffffffffffffffffffffffffff!!!!!! Foi uma proposta de um grupo no comitê de campanha, mais profissionais da área e os intelectuais da U.S.P. Operações Urbanas - e dá-lhe alguns slides com gráficos, cores, números, dados e blá, blá e mais blá... Daí lá vai ele falar do impulso das incorporações imobiliárias. Citou a Tecnisa no terreno da Telefonica na Água Branca. Pensei comigo: "há tempos que São Paulo foi vendida para as grandes e famintas construtoras..." Agora, essa frase foi a mais interessante: "...outros públicos, que não sejam só alta renda". Tadinha da periferia!!!!!!! E lá pelas tantas, a apresentação estava tão dinâmica que o próprio se perde nos slides. Êlaiá!!!!!! "Desenvolvimento para área precária" Operação Urbana/Eixos axiais com as principais rodovias. Daí eu pensei comigo novamente: "Quando isso vai começar? Quanto tempo vai precisar?" Esse Arco do Triunfo... E, finalmente, fala das Centralidades Periféricas. Citou o Largo Treze e o de Pinheiros como centros de comércio popular e transladados para além, com acesso ao Grajaú e Vila Sônia, respectivamente. Porta de entrada aos municípios adjacentes. Reorganizar a cidade, importância com a sua Geografia e a Hidrografia. (Sugiro o documentário Entre Rios). Novas formas de uso do espaço. E continuemos com o Arco do Triunfo... Mobilidade - Linhas estruturantes da C.P.T.M. e meios de transporte não poluentes como a bicicleta. Rede cicloviária cotidiana!!!! Intermodal de mobilidade. Daí lá vai eu pensar com meus botões: como gosta de falar difícil esse homem!!!! Dissociação emprego X moradia; Baixa densidade geográfica e possibilidade de adensamento. Se eu for utilizar esses termos com a galera da favela, ou apanho ou fico no vácuo... E foi... mais blá, blá e blá. Daí vem o Kazuo Nakano, Diretor do DEURB (Desenvolvmento Urbano), com sua voz mais animada, citando os muitos booms imobiliários e a verticalização da cidade e falar mais do mesmo que foi citado anteriormente. Quer saber o que senti? Não adianta o Senhor Digníssimo Prefeito Haddad pedir aproximação da população e ter apenas sua boa vontade e ainda contar com uma equipe prá lá de burocrática. Depois foi aberta as perguntas escritas (claro que foram minuciosamente escolhidas). Mas não fiquei até o fim. Fui às 21:00.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Participa Brasil!!!

Olha no Brasil, além do Presidente e do Vice-presidente da república, existem 27 governadores e 27 vice-governadores, 81 senadores, 513 deputados federais, 1059, 5.561 prefeitos 5.561 vice-prefeitos, deputados estaduais e 60.320 vereadores, imagine agora quando é gasto no país só com esses parasitas. POVO BRASILEIRO,OLHA A NOSSA FOLHA DE PAGAMENTO !!! E ELES SÃO PAGOS PARA RIR DE NÓS E CHAMAR-NOS DE PALHAÇOS !!!

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

E chegou 2013 - Mais do mesmo

Interessante... Como depositamos tantas expectativas em algo, sendo que a verdadeira mudança está conosco. Encerrei o ano com reencontros marcantes com o pessoal que trabalhei na extinta Casa de Detenção e iniciei 2013 reencontrando com alguns antigos reeducandos que formaram o grupo "Comunidade Carcerária", expressando em suas letras de rap o universo carcerário, as diferenças sociais e a dificuldade do retorno à sociedade. Quando converso com as pessoas e o assunto chega na carência social do Brasil, toco no tópico de quem um dia foi preso e acaba gerando muitos choques e indignações. Observo como algumas pessoas tentam se justificar, tentando eximir-se de culpa, pq pagam impostos, possuem vida trabalhadora e honesta, como se o outro fosse diferente, ou se já tivesse nascido bandido/traficante/criminoso. No discurso da posse do Presidente americano Barack Obama, ele frisou a igualdade e o respeito com as mulheres, homossexuais e imigrantes. Deveria estender também às pessoas em situação prisional e de vulnerabilidade social, independente de sexo, origem, cor, etc. Abaixo segue a letra do grupo "Realidade Crual" - Dia de Visita. Sinto uma grande vontade de chorar ao ver a minha mãe aqui vindo me visita talvez se eu tivesse pensado um pouco mais, talvez hoje eu estaria atras de uma cela num pátio de um presidio numa triste tarde de domingo é foda mano você não sabe é triste pra sobreviver em paz aqui tem que ser firme veja as fotos penduradas na parede de madrugada quem deve aqui treme, chora, sofre, pede para não morre na lei da cadeia é matar ou morrer, eu agradeço pela visita graças a Deus ainda tenho família, tenho uns conhecidos, tenho uma pá de mano, na rua no presidio uma pá de mano, 15 anos pra puxa de detenção latrocínio na ficha de um ladrão sinto uma grande vontade de chora ao ver minha mãe aqui vindo me mata. Mãe como vai lá em casa, como anda os manos da quebrada, diga pros mano que mandei lembranças, da um abraço bem forte nas crianças Mãe como anda lá em casa, como anda os manos da quebrada, como anda o Duda, como anda o Flavio, como anda o Mi, o Pixote e o Renato, como anda os manos do João Paulo cadê o Kenno se estão todos em paz tá valendo , Rã veja só como é este lugar aqui eu sinto cheiro de morte no ar, aqui raramente se fala de amor, aqui constantemente é puro sofrimento e dor, desespero ódio vingança aqui não tem criança nem me ligo nas lembranças, um regime cruel interno pra dentro do muro um verdadeiro inferno Treta toda hora no meu pavilhão seguro não, não é lugar de ladrão não, sinto uma grande vontade de chora ao ver minha família aqui vindo me visita, visita, visita, visita... Mãe como vai lá em casa, como anda os manos da quebrada, diga pros mano que mandei lembranças, da um abraço bem forte nas crianças Meu filho vem correndo e me abraça eu já não contenho as lagrimas todo dia na cela eu mesmo digo mais para de pensa é impossível em liberdade fugir deste lugar cadeia nunca mais detenção nem pensa lá em cima fica a minha janela a minha bíblia a minha jega eu devia ter pensado na hora agora é tarde parceiro é foda eu lá com revolver na mão dentro da mansão cara a cara com a vitima e o patrão cuzão meu parceiro se aproxima e fala senta o dedo sem dó maluco mete bala cata o dinheiro e as jóias que esta no cofre carro ligado lá fora a gente sai no pinote tudo certo na seqüência tudo combinado plano bolado tudo esquematizado cena trágica correria imagina a minha agonia e ai a reação mano eu nem pensei sangue frio até a alma eu bum atirei veja só até que ponto que o dinheiro sinto na pele que agora a mão de Deus pesa minha mãe minha família meu filho numa triste tarde de domingo sinto uma grande vontade de chorar ao ver minha mãe aqui vindo me visita Mãe como vai lá em casa, como anda os manos da quebrada, diga pros mano que mandei lembranças, da um abraço bem forte nas crianças.