Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de abril de 2012

sábado, 28 de abril de 2012

Sentado e sorrindo aos pés da cruz vazia

Eu fazia Teatro. Encenei Maria Madalena sendo apedrejada e, ao final da apresentação, recitei esse belíssimo texto, no qual me emociono até hoje: Um dia eu vou tirar os cravos Que prenderam suas mãos, seus pés: Do medo vou deixar de ser escravo. Vou fazer o que der na telha E, com o coração em centelha, Vou tirá-lo daí com muita fé. Vou lhe fazer um bom curativo, Colocando remédios e panos, -Tirando as dores que, há mais de dois mil anos, Em seu corpo mora. E, quando você estiver materialmente vivo, Vou lhe dar roupas que se usam agora. ...Depois vamos pelas ruas, pelos jardins, Não vou lhe contar meus problemas, Pois você já sabe antes de mim. Vamos conversar sobre outros temas, Que juntos nunca falamos então: Vamos falar sobre moda ou futebol, Sobre alpinismo ou televisão, Sobre o tempo: se faz chuva ou sol. Vamos falar sobre o Corinthians, Que há tanto tempo não é campeão. Depois vamos jogar xadrez, Vamos jogar dominó ou dama E não pense nenhuma vez Em botar pijama e ir para a cama... Vamos sair novamente, Passear entre nossa gente. E assim batermos um longo papo. Saberei qual sua cor preferida, Saberei se tem receio de cobra ou sapo, Saberei se prefere rosa ou margarida, Se gostas mais de paralelepípedo ou asfalto, Saberei se sua voz é rouca, Se fala baixo ou alto. Se sua gesticulação é muita ou pouca. Você vai se cansar das perguntas minhas. vai falar, falar prá chuchu: "-Por que é branca a pombinha? Por que é preto o urubu"? Depois de matar as curiosidades, Já terá vindo a madrugada. aí entrarei na intimidade E lhe contarei algumas piadas. Piadas gozadas, Selecionadas, Só prá você. E você vai ver Que uma intenção aqui existe: Eu farei você descer da cruz, Porque você anda muito triste. Jesus! Pelo amor de Deus, Não sofra mais pela humanidade! Um dia ela toma jeito. Juro que digo a verdade. O que eu não consigo É sempre ver um amigo, Um amigo do peito, tão tristonho, solitário... ...Então vou deixar de lado meu rosário Vou lhe contar minhas piadas e seus lábios, que abrir ninguém se atreve, se abrirão num sorriso, numa risada. Aí não vou querer mais nada, Poderei morrer ainda que breve, Por que desde criança eu sempre quis Ver Cristo bem feliz, Cristo em completa alegria, Sentado e sorrindo aos pés da cruz vazia. ( Neimar de Barros)

terça-feira, 17 de abril de 2012

Ultimo capítulo

Assisti ao último capítulo da novela da Record - "Vidas em jogo". Confesso que me emocionei muito, chorei e gritei ao ver os apostadores do bolão de palhaço e explicando o que aconteceu. Fiquei muito triste com a morte do Carlos, personagem que eu mais gostava. Lembrei do final da global "Fina Estampa". Até a parte do discurso da Griselda na formatura de Antenor estava muito boa e deveria ter encerrado a novela por ali. Mas... nem sempre acontece o que desejamos!!!! Lembro-me do clássico final de "Vale Tudo" com Reginaldo Faria dando aquela BANANA da janela do jatinho, fugindo do Brasil. Da Maria de Fátima, com seus olhos brilhando de ambição por mais um golpe com seu parceiro César. Aliás, na época eu tinha um paquera que era a cara do Carlos Alberto Ricelli. Em 2007, tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente no Empório Santa Maria. Ele é lindo, porém baixinho... Um final que me emociona até hoje é o de Dancing Days: a briga com direito à puxões de cabelo das personagens de Sônia Braga e Joana Fomm. Outro final belíssimo foi o de "Almas Gêmas", onde mostrava uma transposição de imagens, contando o quanto que nossas almas reencarnam e que o amor é eterno e fraterno. Ultimos capítulos sempre me deixaram com uma dúvida: o que aconteceria depois? Cada um continuava com suas vidas de forma melhor? Não haveria mais conflitos e nem tristezas? Há um clichê nos últimos capítulos: Casamento, nascimento e morte. A união, a novidade e o fim. Fim? Não, recomeço!!!!!!

terça-feira, 3 de abril de 2012

Vontade de rir

Eu costumo ler tudo que está no Facebook. Vou na página de atualizações e as leio uma por uma. Costumo curtir o que gosto e compartilhar o que me chama a atenção e que tenha a ver comigo. Mas, ultimamente me esbarrei com lindos animaizinhos de estimação em fotos engraçadas e com letras coloridas que se iniciam com o "Véi, na boa..." e depois uma observação divertidíssima! Comentei com minhas filhas e esposo e simplesmente morro de rir com as situações e com as frases inteligentes, que conseguiram captar o exato momento da "indignação" do cachorro/gato. Quando eu assisti o "Para nossa alegria", confesso que não ri de primeira... Tive que assistir pela 2ª, 3ª, 4ª vez, reparando em detalhes que dantes não havia percebido e, aí sim, gargalhei aos montes!!!! Sabia que tem uma hora que a mãe diz: "Vai comprar pão, Cibele."? A internet é uma ferramenta muito útil para qualquer coisa que você possa imaginar ( ou não). Uma vez, fazendo uma pesquisa sobre fé e religião, deparei-me com o macumba on line. Pode? Seu despacho de frango com farofa, cachaça, charutos e velas coloridas em qualquer tempo e no aconchego do seu P.C. Tem até a seção "Coloque o nome na boca o do sapo". Pensa na situação...
Realmente tem aqueles dias que a gente se sente prá baixo ou cansado, meio de saco cheio de você mesmo e dos outros e é aí que entra os memes, troll, youtube, piadas, uma frase mal colocada que se transforma em coisa engraçada e a sua vontade de rir explode e tudo se torna engraçado. E o mais interessante é que você se pega procurando por coisas divertidas, querendo rir mais, sentir aquela sensação de dor na barriga agradável que só a Dona Risada consegue promover.