Total de visualizações de página

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O.N.G. Reviver/Recica

Estamos localizados na R. João Scatamacchia, 696, Vila Campo Grande, no município de São Paulo, CEP. 04455-130, Tel. 5611-9418/5611-3950. Organização não governamental, sem fins lucrativos, sem ajuda nenhuma de órgão público, fundada em 08 de Setembro de 1983 e oficializada em 2005. Atende cerca de 200 crianças e adolescentes entre 04 e 14 anos, fornecendo diversas atividades entre elas: acompanhamento escolar,aulas de inglês e francês, aulas de música, dança, capoeira, teatro, cidadania, boas maneiras e entre outras. Oferecemos 03 refeições diárias: café da manhã, almoço e lanche da tarde. Nosso horário de atendimento é de 2ª à 5ª feira, das 8:00 às 17:00 e disponibilzamos as 6ª feiras para limpeza, manutenção e busca/recebimento de doações. Nosso galpão está localizado atrás do Shopping Interlagos onde existe uma grande quantidade de pessoas em extrema carência e moradoras da comunidade conhecida como Morro da Macumba. A Reviver/Recica foi criada com principal intuíto de contribuir para a formação de cidadãos críticos, desenvolvendo um trabalho social e cultural tirando as crianças das ruas, faróis e portas de supermercados, realizando um trabalho de reeducação através de cursos profissionalizantes, acompanhamento escolar, esportes, cultura, leitura, artesanato, atendimento psicopedagógico. O nosso objetivo é promover ações de prevenção, habilitação, reabilitação e integração à vida comunitária de crianças e adolescentes, afastando-as das drogas e conseqüentemente de crimes. A idealizadora do projeto é Marlene Gomes Praxedes Garcia, moradora da comunidade que iniciou esse trabalho nos fundos de uma igreja com cerca de 50 crianças. Como foi crescendo a turma, também foi-se percebendo a necessidade de um espaço maior. Marlene negociou o uso do atual galpão com a malandragem da comunidade, já que os mesmo utilizavam o espaço para desmanche de carros roubados e distribuição de entorpecentes. O espaço foi cedido pacificamente em completo estado de decadência. Com o passar do tempo, com ajuda de pessoas interessadas no bem alheio e muito trabalho, foi adaptando-se o espaço que hoje conta com uma cozinha, um refeitório, duas salas de aulas, dois banheiros, uma despensa e um escritório, tudo distribuído em 260 metros quadrados. Mantemos nosso projeto único e exclusivamente com doações e nossa coragem em efetuar compras de materias e depois pedir doações para saldar o que foi adquirido. Contamos com a ajuda de algumas pessoas que se disponibilizaram em se responsabilizar pelas contas de consumo de água, luz e telefone. Recebemos doações de materias de limpeza, mantimentos, material escolar, roupas e mobiliário, mas são esporádicas. Há o grupo de pagode "Amigos da Reviver" que promovem shows beneficentes, arrecadando alimentos não perecíveis. Procuramos oferecer às crianças e adolescentes festividades como Páscoa, Dia das Mães, Festa Junina, Dia dos Pais, Dia das Crianças e Festa de Natal, esta última com o apadrinhamento de cada criança onde a mesma recebe uma roupa, calçado e brinquedo. O perfil atendido são moradores da própria comunidade, com famílias desestruturadas, em situação prisional, viciados em entorpecentes, bebidas e nas demais situações de risco. As crianças e adolescentes devem ter a frequência regular no Sistema Público de Ensino. A área aonde se localiza o galpão e a comunidade é parcialmente pavimentada e ao acesso dos serviços básicos de abastecimento de água, esgoto e energia elétrica. Não possuímos U.B.S. (Unidade Básica de Saúde) e o transporte coletivo é longínquo. Nossa localização é privilegiada, pois estamos cercados pelo centro comercial que abrange o Shopping Interlagos, Leroy Merlin e Atacadista Macro que já tentamos contato para possíveis parcerias, mas nunca recebemos retorno. Nosso quadro funcional é composto exclusivamente por voluntários, sendo alguns moradores da própria comunidade e componentes da família da própria Marlene. Possuímos, como forma de contato, além do telefone, as redes sociais como Facebook, Twitter, Orkut e email. Aproveitamos para fazer o convite à sua visita em nosso espaço. Venha nos conhecer!!!!!!!!!!!!!!! Quem sabe não será o início de uma sólida amizade? Muito obrigado pela sua atenção O.N.G. Reviver - Centro de Integração da Criança e Adolescente - RECICA R. João Scatamacchia, 696 - Vila Campo Grande - CEP. 04455-130 - São Paulo - S.P. Tel. 11- 5611-9418 e 11- 5611-3950 reviver_integracao@yahoo.com.br - email www.revivergalpao.blogspot.com - Blog https://www.facebook.com/Reviver01?ref=ts&fref=ts - Facebook @Reviver_Recica - Twitter

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Propostas que ainda valerão!!!!

Essas foram (e poderão ser) propostas que formulei para a minha candidatura como Vereadora/SP. Mas estamos muito bem representados pelo companheiro e Professor Toninho Véspoli!!!!
.Criação de bases comunitárias fixas e móveis nos bairros com a presença efetiva da G.C.M. (Guarda Civil Metropolitana) por 24 horas; presença da mesma nas repartições públicas em geral (escolas/hospitais...) e reestruturação do CONSEG (Conselho de Segurança) com participação das Polícias Militar e Federal; .100% da administração municipal, extinguindo as O.S.(Organizações Sociais); investir na prevenção; planejamento familiar mais amplo e menos burocrático; agilizar consultas e realização de exames com seus respectivos resultados e participação aberta e ativa da populção nos Conselhos Gestores; .Além de concurso público, fiscalizar o servidor público municipal por meio de avaliações feitas pela população; disponibilizar 1 (uma) folga anual no aniversário do servidor; extinguir a morosidade burocrática e a descentralização nas repartições municipais, otimizando resoluções e atendimento; .Coleta seletiva de resíduos em toda a cidade; estimular as cooperativas de reciclagem e a comercialização de todo material transformado e extinguir o uso de papel em todas as repartições municipais, estimulando o uso da tecnologia; .Transformar bens privados oriundos de massa falida em bens públicos municipais de uso coletivo; preservar a memória representada na arquitetura e urbanização coletiva e estimular a conservação dos mesmos com o auxílio da própria população; .Escolha dos Subprefeitos de forma democrática com a participação de toda comunidade;prestação de contas/balanço financeiro e reuniões/planejamentos abertos à toda população. Cobrança da dívida passiva com prazo de pagamento breve ou na conversão por prestação de serviços de qualidade; .Retornar o E.J.A (antigo Supletivo) no período noturno; o poderio das A.P.M.s (Associação de Pais e Mestres) e dos Conselhos de Escola com a participação ativa da Comunidade, Corpo Docente/Discente e retorno do Grêmio Estudantil como ferramenta poderosa de força dos alunos; .Firmar parcerias com Associações de Bairros, O.N.G.s e com os próprios moradores e o comércio local nas melhorias do bairro e da comunidade e a Humanização em todos os setores municipais, tratando o cidadão como ser humano que é, assistenciando as suas necessidades e resolvendo as suas solicitações com destreza e profissionalismo. Usar de empatia e rapport.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Carandiru, 20 anos

Adquiri a Revista Fórum, edição 114, ano 11 de setembro de 2012, matéria de capa: "Carandiru, 20 anos - Responsáveis pela tragédia ainda não foram punidos e massacres continuam" Escrevi o seguinte email:
Olá, escrevo justamente na data em que ocorreu o Massacre dos 111 do Carandiru. Trabalhei na extinta Casa de Detenção "Prof. Flamínio Fávero" logo após o ocorrido. Entrei em fevereiro de 1993. Posso dizer com toda a propriedade e do fundo do meu coração que foi o lugar mais marcante que pude conhecer!!! Fui Oficial Administrativa do D.G.V.H. (Diretorira Geral de Valorização Humana), conheci Dr. Drauzio Varela e tenho um contato muito especial até hoje com o Valdemar Gonçalves que era o Diretor de Esportes e apelidado carinhosamente de "Véio". Lembro-me de alguns poucos Reeducandos que tive contato. O Edgard trabalhava na faxina do prédio administrativo e conversávamos quase todos os dias. Estava cumprindo pena pelo artigo 12 (tráfico) e estava aguardando seu Alvará de Soltura, documento que eu recebia quase sempre no final da tarde. No dia de sua soltura, todos nós corremos até os gigantes vitraux e assitimos, emocionados, sua família o aguardando de braços abertos. Foi uma cena muito linda!!! Pena que poucos tinham essa mesma oportunidade de apoio familiar qdo "libertados"... Hoje sou Professora de Língua Portuguesa, Inglesa e Francesa e retornei ao Carandiru, depois que se tornou Parque da Juventude, para atender um aluno no espaço que hoje é a Biblioteca. Quando entrei no prédio, veio à tona a mesma emoção que estou sentindo ao escrever esse texto. Pude ver os "beges" caminhando na Divinéia, ouvir o barulho da tranca do portão principal, o cheiro do corredor, as vozes dos "ASP'S" (Agentes de Segurança Penitenciários)... É muita emoção!!!! Muitas lembranças!!!! Quantas histórias!!! Vou guardar essa edição da Fórum. Grata Eliana Toscano 11-5611-15-08 Residencial 11-98938-61-99 Claro prof_elianatoscano@yahoo.com.br www.elianatoscano.blogspot.com - Blog Hi@ElianaToscano - Twitter mgsetajttas@ig.com.br ou Eliana.toscanodearaujo - Facebook P.S. Agradeço com muito carinho à Pamela, pela sua atenção e sensibilidade.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Estou na reta final da Campanha Eleitoral 2012. Confesso que saí pouco, mas divulguei muito!!!!!! Sabe aonde está ocorrendo as Campanhas? Aonde eu estou!!!! Seja no transporte público, nas ruas, no mercadinho da esquina, nas rodas de conversas com os vizinhos, lá estou eu sempre presente!!!!! O melhor cabo eleitoral sou eu!!!!!

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

PROFESSORA DE 74 ANOS BATEU FORTE NA PRESIDENTE. O TEXTO É LONGO, MAS TIRE 10 MINUTOS DO SEU PRECIOSO TEMPO E LEIA, VALE A PENA.

BRASIL CARINHOSO Bom dia, dona Dilma! Eu também assisti ao seu pronunciamento risonho e maternal na véspera do Dia das Mães. Como cidadã da classe média, mãe, avó e bisavó, pagadora de impostos escorchantes descontados na fonte no meu contracheque de professora aposentada da rede pública mineira e em cada Nota Fiscal Avulsa de Produtora Rural, fiquei preocupada com o anúncio do BRASIL CARINHOSO. Brincando de mamãe Noel, dona Dilma? Em ano de eleição municipalista? Faça-me o favor, senhora presidentA! É preciso que o Brasil crie um mecanismo bastante severo de controle dos impulsos eleitoreiros dos seus executivos (presidente da república, governador e prefeito) para que as matracas de fazer voto sejam banidas da História do Brasil. Setenta reais per capita para as famílias miseráveis que têm filhos entre 0 a 06 anos foi um gesto bastante generoso que vai estimular o convívio familiar destas pessoas, porque elas irão, com certeza, reunir sob o mesmo teto o maior número de dependentes para engordar sua renda. Por outro lado mulheres e homens miseráveis irão correndo para a cama produzir filhos de cinco em cinco anos. Este é, sem dúvida, um plano quinquenal engenhoso de estímulo à vagabundagem, claramente expresso nas diversas bolsas-esmola do governo do PT. É muito fácil dar bom dia com chapéu alheio. É muito fácil fazer gracinha, jogar para a plateia. É fácil e é um sintoma evidente de que se trabalha (que se governa, no seu caso) irresponsavelmente. Não falo pelos outros, dona Dilma. Falo por mim. Não votei na senhora. Sou bastante madura, bastante politizada, sobrevivente da ditadura militar e radicalmente nacionalista. Eu jamais votei nem votarei num petista, simplesmente porque a cartilha doutrinária do PT é raivosa e burra. E o governo é paternalista, provedor, pragmático no mau sentido, e delirante. Vocês são adeptos do quanto pior, melhor. São discricionários, praticantes do bullying mais indecente da História do Brasil. Em 1988 a Assembleia Nacional Constituinte, numa queda-de-braço espetacular, legou ao Brasil uma Carta Magna bastante democrática e moderna. No seu Art. 5º está escrito que todos são iguais perante a lei*. Aí, quando o PT foi ao paraíso, ele completou esta disposição, enfiando goela abaixo das camadas sociais pagadoras de imposto seu modus governandi a partir do qual todos são iguais perante a lei, menos os que são diferentes: os beneficiários das cotas e das bolsas-esmola. A partir de vocês. Sr. Luís Inácio e dona Dilma, negro é negro, pobre é pobre e miserável é miserável. E a Constituição que vá para a pqp. Vocês selecionaram estes brasileiros e brasileiras, colocaram-nos no tronco, como eu faço com o meu gado, e os marcaram com ferro quente, para não deixar dúvida d e que são mal-nascidos. Não fizeram propriamente uma exclusão, mas fizeram, com certeza, publicamente, uma apartação étnica e social. E o PROUNI se transformou num balcão de empréstimo pró escolas superiores particulares de qualidade bem duvidosa, convalidadas pelo Ministério de Educação. Faculdades capengas, que estavam na UTI financeira e deveriam ter sido fechadas a bem da moralidade, da ética e da saúde intelectual, empresarial, cultural e política do País. A Câmara Federal endoidou? O Senado endoidou? O STJ endoidou? O ex-presidente e a atual presidentA endoidaram? Na década de 60 e 70 a gente lutou por uma escola de qualidade, laica, gratuita e democrática. A senhora disse que estava lá, nesta trincheira, se esqueceu disto, dona Dilma? Oi, por favor, alguém pare o trem que eu quero descer! Uma escola pública decente, realista, sintonizada com um País empreendedor, com uma grade curricular objetiva, com professores bem remunerados, bem preparados, orgulhosos da carreira, felizes, é disto que o Brasil precisa. Para ontem. De ensino técnico, profissionalizante. Para ontem. Nossa grade curricular é tão superficial e supérflua, que o aluno chega ao final do ensino médio incapaz de conjugar um verbo, incapaz de localizar a oração principal de um período composto por coordenação. Não sabe tabuada. Não sabe regra de três. Não sabe calcular juros. Não sabe o nome dos Estados nem de suas capitais. Em casa não sabe consertar o ferro de passar roupa. Não é capaz de fritar um ovo. O estudante e a estudantA brasileiros só servem para prestar vestibular, para mais nada. E tomar bomba, o que é mais triste. Nossos meninos e jovens leem (quando leem), mas não compreendem o que leram. Estamos na rabeira do mundo, dona Dilma. Acorde! Digo isto com conhecimento de causa porque domino o assunto. Fui a vida toda professora regente da escola pública mineira, por opção política e ideológica, apesar da humilhação a que Minas submete seus professores. A educação de Minas é uma vergonha, a senhora é mineira (é?), sabe disto tanto quanto eu. Meu contracheque confirma o que estou informando. Seu presente para as mães miseráveis seria muito mais aplaudido se anunciasse apenas duas decisões: um programa nacional de planejamento familiar a partir do seu exemplo, como mãe de uma única filha, e uma escola de um turno só, de doze horas. Não sabe como fazer isto? Eu ajudo. Releia Josué de Castro, A GEOGRAFIA DA FOME. Releia Anísio Teixeira. Releia tudo de Darcy Ribeiro. Revisite os governos gaúcho e fluminense de seu meio-conterrâneo e companheiro de PDT, Leonel Brizola. Convide o senador Cristovam Buarque para um café-amigo, mesmo que a Casa Civil torça o nariz. Ele tem o mapa da mina. A senhora se lembra dos CIEPs? É disto que o Brasil precisa. De escola em tempo integral, igual para as crianças e adolescentes de todas as camadas, miseráveis ou milionárias. Escola com quatro refeições diárias, escova de dente e banho. E aulas objetivas, evidentemente. Com biblioteca, auditório e natação. Com um jardim bem cuidado, sombreado, prazeroso. Com uma baita horta, para aprendizado dos alunos e abastecimento da cantina. Escola adequada para os de zero a seis, para estudantes de ensino fundamental e para os de ensino médio, em instalações individuais para um máximo de quinhentos alunos por prédio. Escola no bairro, virando a esquina de casa. De zero a dezessete anos. Dê um pulinho na Finlândia, dona Dilma. No aerolula dá pra chegar num piscar de olhos. Vá até lá ver como se gerencia a educação pública com responsabilidade e resultado. Enquanto os finlandeses amam a escola, os brasileiros a depredam. Lá eles permanecem. Aqui a evasão é exorbitante. Educação custa caro? Depende do ponto de vista de quem analisa. Só que educação não é despesa. É investimento. E tem que ser feita por qualquer gestor minimamente sério e minimamente inteligente. Povo educado ganha mais, consome mais, come mais corretamente, adoece menos e recolhe mais imposto para as burras dos governos. Vale à pena investir mais em educação do que em caridade, pelo menos assim penso eu, materialista convicta. Antes que eu me esqueça e para ser bem clara: planejamento familiar não tem nada a ver com controle de natalidade. Aliás, é a única medida capaz de evitar a legalização do controle de natalidade, que é uma medida indesejável, apesar de alguns países precisarem recorrer a ela. Uberlândia, inspirada na lei de Cascavel, Paraná, aprovou, em novembro de 1992, a lei do planejamento familiar. Nossa cidade foi a segunda do Brasil a tomar esta iniciativa, antecipando-se ao SUS. Eu, vereadora à época, fui a autora da mesma e declaro isto sem nenhuma vaidade, apenas para a senhora saber com quem está falando. Senhora PresidentA, mesmo não tendo votado na senhora, torço pelo sucesso do seu governo como mulher e como cidadã. Mas a maior torcida é para que não lhe falte discernimento, saúde nem coragem para empunhar o chicote e bater forte, se for preciso. A primeira chibatada é o seu veto a este Código Florestal, que ainda está muito ruim, precisado de muito amadurecimento e aprendizado. O planeta terra é muito mais importante do que o lucro do agronegócio e a histeria da reforma agrária fajuta que vocês estão promovendo. Sou fazendeira e ao mesmo tempo educadora ambiental. Exatamente por isto não perco a sensatez. Deixe o Congresso pensar um pouco mais, afinal, pensar não dói e eles estão em Brasília, bem instalados e bem remunerados, para isto mesmo. E acautele-se durante o processo eleitoral que se aproxima. Pega mal quando um político usa a máquina para beneficiar seu partido e sua base aliada. Outros usaram? E daí? A senhora não é os outros. A senhora á a senhora, eleita pelo povo brasileiro para ser a presidentA do Brasil, e não a presidentA de um partidinho de aluguel, qualquer. Se conselho fosse bom a gente não dava, vendia. Sei disto, é claro. Assim mesmo vou aconselhá-la a pedir desculpas às outras mães excluídas do seu presente: as mães da classe média baixa, da classe média média, da classe média alta, e da classe dominante, sabe por quê? Porque somos nós, com marido ou sem marido, que, junto com os homens produtivos, geradores de empregos, pagadores de impostos, sustentamos a carruagem milionária e a corte perdulária do seu governo tendencioso, refém do PT e da base aliada oportunista e voraz. A senhora, confinada no seu palácio, conhece ao vivo os beneficiários da Bolsa-família? Os muitos que eu conheço se recusam a aceitar qualquer trabalho de carteira assinada, por medo de perder o benefício. Estou firmemente convencida de que este novo programa, BRASIL CARINHOSO, além de não solucionar o problema de ninguém, ainda tem o condão de produzir uma casta inoperante, parasita social, sem qualificação profissional, que não levará nosso País a lugar nenhum. E, o que é mais grave, com o excesso de propaganda institucional feita incessantemente pelo governo petista na última década, o Brasil está na mira dos desempregados do mundo inteiro, a maioria qualificada, que entrarão por todas as portas e ocuparão todos os empregos disponíveis, se contentando até mesmo com a informalidade. E aí os brasileiros e brasileira vão ficar chupando prego, entregues ao deus-dará, na ociosidade que os levará à delinquência e às drogas. Quem cala, consente. Eu não me calo. Aos setenta e quatro anos, o que eu mais queria era poder envelhecer despreocupada, apesar da pancadaria de 1964. Isto não está sendo possível. Apesar de ter lutado a vida toda para criar meus cinco filhos, de ter educado milhares de alunos na rede pública, o País que eu vou legar aos meus descendentes ainda está na estaca zero, com uma legislação que deu a todos a obrigação de votar e o direito de votar e ser votado, mas gostou da sacanagem de manter a maioria silenciosa no ostracismo social, alienada e desinteressada de enfrentar o desafio de lutar por um lugar ao sol, de ganhar o pão com o suor do seu rosto. Sem dignidade, mas com um título de eleitor na mão, pronto para depositar um voto na urna, a favor do político paizão/mãezona que lhe dá alguma coisa. Dar o peixe, ao invés de ensinar a pescar, est a foi a escolha de vocês. A senhora não pediu minha opinião, mas vai mandar a fatura para eu pagar. Vai. Tomou esta decisão sem me consultar. Num país com taxa de crescimento industrial abaixo de zero, eu, agropecuarista, burro-de-carga brasileiro, me dou o direito de pensar em voz alta e o dever de me colocar publicamente contra este cafuné na cabeça dos miseráveis. Vocês não chegaram ao poder agora. Já faz nove anos, pense bem! Torraram uma grana preta com o FOME ZERO, o bolsa-escola, o bolsa-família, o vale-gás, as ONGs fajutas e outras esmolas que tais. Esta sangria nos cofres públicos não salvou ninguém? Não refrescou niente? Gostaria que a senhora me mandasse o mapeamento do Brasil miserável e uma cópia dos estudos feitos para avaliar o quantitativo de miseráveis apurado pelo Palácio do Planalto antes do anúncio do BRASIL CARINHOSO. Quero fazer uma continha de multiplicar e outra de dividir, só para saber qual a parte que me toca nesta chamada de capital. Democracia é isto, minha cara. Transparência. Não ofende. Não dói. Ah, antes que eu me esqueça, a palavra certa é PRESIDENTE. Não sou impertinente nem desrespeitosa, sou apenas professora de latim, francês e português. Por favor, corrija esta informação. Se eu mandar esta correspondência pelo correio, talvez ela pare na Casa Civil ou nas mãos de algum assessor censor e a senhora nunca saberá que desagradou alguém em algum lugar. Então vai pela internet. Com pessoas públicas a gente fala publicamente para que alguém, ciente, discorde ou concorde. O contraditório é muito saudável. Não gostei e desaprovo o BRASIL CARINHOSO. Até o nome me incomoda. R$2,00 (dois reais) por dia para cada familiar de quem tem em casa uma criança de zero a seis anos, é uma esmolinha bem insignificante, bem insultuosa, não é não, dona Dilma? Carinho de presidentA da república do Brasil neste momento, no meu conceito, é uma campanha institucional a favor da vasectomia e da laqueadura em quem já produziu dois filhos. É mais creche institucional e laica. Mais escola pública e laica em tempo integral com quatro refeições diárias. É professor dentro da sala de aula, do laboratório, competente e bem remunerado. É ensino profissionalizante e gente capacitada para o mercado de trabalho. Eu podia vociferar contra os descalabros do poder público, fazer da corrupção escandalosa o meu assunto para esta catilinária. Mas não. Prefiro me ocupar de algo mais grave, muitíssimo mais grave, que é um desvio de conduta de líderes políticos desonestos, chamado populismo, utilizado para destruir a dignidade da massa ignara. Aliciar as classes sociais menos favorecidas é indecente e profundamente desonesto. Eles são ingênuos, pobres de espírito, analfabetos, excluídos? Os miseráveis são. Mas votam, como qualquer cidadão produtivo, pagador de impostos. Esta é a jogada. Suja. A televisão mostra ininterruptamente imagens de desespero social. Neste momento em todos os países, pobres, emergentes ou ricos, a população luta, grita, protesta, mata, morre, reivindicando oportunidade de trabalho. Enquanto isto, aqui no País das Maravilhas, a presidente risonha e ricamente produzida anuncia um programa de estímulo à vagabundagem. Estamos na contramão da História, dona Dilma! Pode ter certeza de que a senhora conseguiu agredir a inteligência da minoria de brasileiros e brasileiras que mourejam dia após dia para sustentar a máquina extraviada do governo petista. Último lembrete: a pobreza é uma consequência da esmola. Corta a esmola que a pobreza acaba, como dois mais dois são quatro. Não me leve a mal por este protesto público. Tenho obrigação de protestar, sabe por quê? Porque, de cada delírio seu, quem paga a conta sou eu. Atenciosamente, Martha de Freitas Azevedo Pannunzio Fazenda Água Limpa, Uberlândia, em 16-05-2012 OBS.:- foi entregue em mãos à PRESIDENTE.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Cuidado!!!!!!!!!!!

Ainda estou em clima de pré-campanha eleitoral. Existe uma ferramenta maravilhosa disponibilizada gratuitamente na internet que é o DivulgaCand, onde o eleitor/cidadão pode saber quem é o seu candidato. Lá estão as informações básicas e de suma importância do seu candidato já escolhido ou se você ainda está naquela dúvida em quem votar ou se simplesmente ainda não se decidiu ou se quer xeretar um pouco a vida alheia. Aliás, na minha opinião, a vida do candidato passa de ser alheia para PÚBLICA. (por favor, não confunda pública com íntima!!!!) Eu, particurlamente, não tenho nada à esconder. Não tenho nenhum bem em meu nome, não tenho nenhum processo criminal e sou sócia ASSUMIDA do SCPC e do SERASA. Fui funcionária pública das três esferas (Municipal, Estadual e Federal) e sai delas por vontade própria!!!! Tenho meus problemas pessoais, como a grande maioria, mas NUNCA que eu usaria um cargo público e político para me dar bem! Quem me conhece DE VERDADE, sabe como eu sou. Me chamam de chata!!!! Mas tem que ser!!!! Eu estava pesquisando alguns candidatos no DivulgaCand e alguns me deixaram muito, mas muito indignada!!!! Principalmente em suas Declarações de Bens! Oras... Se eu tivesse uma bicicleta enferrujada em meu nome, claro que a declararia!!!! Eu não tenho carro, casa, contas bancárias e nem mesmo um bilhete único em meu nome!!!! O único bem que tenho é a minha família, meus cachorros e minhas gatas. E como cantava Elis Regina: "Meus discos e livros e nada mais..." Eliana Toscano - 50.220 - Vereadora - PSOL/SP - "Ligada em você!!!"

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Campanha Eleitoral

Essa é a época do ano mais interessante, no meu ponto de vista: recesso escolar, início do inverno e campanha eleitoral. Nesta eleição sou candidata ao cargo de Vereadora pelo PSOL do municípo de São Paulo e escolhi o número 50.220. O 50 é devido a legenda do partido - PSOL - e o 220 é uma brincadeira, pois minha data de nascimento é 22/02/1972 e como o 222 já estava devidamente ocupado, escolhi o 220 e a frase "Ligada em você", fazendo uma alusão à voltagem, que aqui em São Paulo usamos mais no uso do chuveiro. Estou utilizando muito o Facebook, Twitter, este blog, ressuscitei o Orkut, converso pelo MSN e meus telefones estão à disposição para quem desejar um contato mais próximo comigo. Podem pensar que isso é apenas instrumentos de campanha? Sim , claro que é e também continuarão como instrumentos de comunicação mesmo depois de ser eleita, pois seria muito mal intecionado me expor quando preciso e me ocultar quando a população necessitar (como fazem alguns de nossos representantes). Tenho em mente que a partir do momento que escolho uma carreira pública para representar a sociedade, espera-se que esteja sempre à disposição dessas pessoas, seja para orientações como para reclamações, embora que os paulistanos mais se queixam do que elogiam... Enfim, tenho plena consciência que não é fácil o que almejo e que o caminho a ser trilhado possue mais pedras do que grama. Mas como escreveu Fernando Pessoa (aliás, meu predileto): "Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, Mas não esqueço de que minha vida É a maior empresa do mundo… E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e Se tornar um autor da própria história… É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar Um oásis no recôndito da sua alma… É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “Não”!!! É ter segurança para receber uma crítica, Mesmo que injusta… Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…" Meus contatos: 11-5611-15-08 Residencial 11-8938-61-99 Claro prof_elianatoscano@yahoo.com.br prof_elianatoscano@hotmail.com mgsetajttas@ig.com.br para Orkut e Facebook @HiElianaToscano - Twitter

terça-feira, 26 de junho de 2012

Artista da monstruosidade - ABSURDO!!!!

Estava atualizando meu Facebook qdo deparo com essa imagem: um cachorro tatuado no focinho. Língua de fora, anestesiado. E o tal se diz artista... Nem vou me aprofundar muito em palavras, pq a revolta q sinto dentro de mim não se descreve... Olha o q encontrei desse cidadão: "Paulão Tattoo - Tatuagens, piercings, restaurações, coberturas, arte, mão livre. Jundiaí - SP http://www.meusiteonline.com.br/site/paulaotatto/ Trabalho com Tatuagens há 15 anos, e sempre estou atualizando meus conhecimentos em desenho com cursos específicos. Faço todos tipos de tatuagens, desde a mais simples, como as feitas a mão livre que são sempre um trabalho artístico mais complexo. Fone: (11) 4522-5516 ladoescurotattoo@hotmail.com Av Dr Carlos Salles Block, 10 Anhangabaú - Jundiaí - SP" Obrigada por ler esse meu desabafo.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

MÃE (Homenagem à Dona de Maio)

Existem as mães, De gente, De serpentes, De cães. Existem as mães De ladrões de pães, Sapateiros, Delegados, barbeiros, Sacristães. Mães de empresários, operários... Tem mãe o juiz de futebol, O escrivão da causa pública Tem, e é mãe, até A presidente da República, o americano. o iraniano, o espanhol. Tem mãe que assume, a mãe que some, a mãe com ciúme, a mãe que dá a vida. A mãe que morre, a mãe farta e a sofrida, A mãe que se atreve. A mãe que espancada corre pela praça, pela avenida... - A mãe-operária em greve -. Tem a mãe preta Que amamentou O filho do ventre alheio; Tem a mãe que nem seio, nem chupeta, Nem choro a preocupou. Tem mãe que é fogo Na hora "H" está no cabeleireiro, no costureiro, na mesa de jogo. Tem mãe solteira, mãe escrava, Mãe calma, mãe brava. Tem mãe sem fé, sem porta mãe que aborta. Tem mãe quem quer que seja: Maria - mãe da igreja- Mãe é tão popular
Que até a pátria querSER. Mas para não nos deixarmos enganar É bom saber Que as pátrias onde moramos Podem ser chamadas de MÃES São indignos e desumanos Os que roubam de seus filhos os PÃES.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

sábado, 28 de abril de 2012

Sentado e sorrindo aos pés da cruz vazia

Eu fazia Teatro. Encenei Maria Madalena sendo apedrejada e, ao final da apresentação, recitei esse belíssimo texto, no qual me emociono até hoje: Um dia eu vou tirar os cravos Que prenderam suas mãos, seus pés: Do medo vou deixar de ser escravo. Vou fazer o que der na telha E, com o coração em centelha, Vou tirá-lo daí com muita fé. Vou lhe fazer um bom curativo, Colocando remédios e panos, -Tirando as dores que, há mais de dois mil anos, Em seu corpo mora. E, quando você estiver materialmente vivo, Vou lhe dar roupas que se usam agora. ...Depois vamos pelas ruas, pelos jardins, Não vou lhe contar meus problemas, Pois você já sabe antes de mim. Vamos conversar sobre outros temas, Que juntos nunca falamos então: Vamos falar sobre moda ou futebol, Sobre alpinismo ou televisão, Sobre o tempo: se faz chuva ou sol. Vamos falar sobre o Corinthians, Que há tanto tempo não é campeão. Depois vamos jogar xadrez, Vamos jogar dominó ou dama E não pense nenhuma vez Em botar pijama e ir para a cama... Vamos sair novamente, Passear entre nossa gente. E assim batermos um longo papo. Saberei qual sua cor preferida, Saberei se tem receio de cobra ou sapo, Saberei se prefere rosa ou margarida, Se gostas mais de paralelepípedo ou asfalto, Saberei se sua voz é rouca, Se fala baixo ou alto. Se sua gesticulação é muita ou pouca. Você vai se cansar das perguntas minhas. vai falar, falar prá chuchu: "-Por que é branca a pombinha? Por que é preto o urubu"? Depois de matar as curiosidades, Já terá vindo a madrugada. aí entrarei na intimidade E lhe contarei algumas piadas. Piadas gozadas, Selecionadas, Só prá você. E você vai ver Que uma intenção aqui existe: Eu farei você descer da cruz, Porque você anda muito triste. Jesus! Pelo amor de Deus, Não sofra mais pela humanidade! Um dia ela toma jeito. Juro que digo a verdade. O que eu não consigo É sempre ver um amigo, Um amigo do peito, tão tristonho, solitário... ...Então vou deixar de lado meu rosário Vou lhe contar minhas piadas e seus lábios, que abrir ninguém se atreve, se abrirão num sorriso, numa risada. Aí não vou querer mais nada, Poderei morrer ainda que breve, Por que desde criança eu sempre quis Ver Cristo bem feliz, Cristo em completa alegria, Sentado e sorrindo aos pés da cruz vazia. ( Neimar de Barros)

terça-feira, 17 de abril de 2012

Ultimo capítulo

Assisti ao último capítulo da novela da Record - "Vidas em jogo". Confesso que me emocionei muito, chorei e gritei ao ver os apostadores do bolão de palhaço e explicando o que aconteceu. Fiquei muito triste com a morte do Carlos, personagem que eu mais gostava. Lembrei do final da global "Fina Estampa". Até a parte do discurso da Griselda na formatura de Antenor estava muito boa e deveria ter encerrado a novela por ali. Mas... nem sempre acontece o que desejamos!!!! Lembro-me do clássico final de "Vale Tudo" com Reginaldo Faria dando aquela BANANA da janela do jatinho, fugindo do Brasil. Da Maria de Fátima, com seus olhos brilhando de ambição por mais um golpe com seu parceiro César. Aliás, na época eu tinha um paquera que era a cara do Carlos Alberto Ricelli. Em 2007, tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente no Empório Santa Maria. Ele é lindo, porém baixinho... Um final que me emociona até hoje é o de Dancing Days: a briga com direito à puxões de cabelo das personagens de Sônia Braga e Joana Fomm. Outro final belíssimo foi o de "Almas Gêmas", onde mostrava uma transposição de imagens, contando o quanto que nossas almas reencarnam e que o amor é eterno e fraterno. Ultimos capítulos sempre me deixaram com uma dúvida: o que aconteceria depois? Cada um continuava com suas vidas de forma melhor? Não haveria mais conflitos e nem tristezas? Há um clichê nos últimos capítulos: Casamento, nascimento e morte. A união, a novidade e o fim. Fim? Não, recomeço!!!!!!

terça-feira, 3 de abril de 2012

Vontade de rir

Eu costumo ler tudo que está no Facebook. Vou na página de atualizações e as leio uma por uma. Costumo curtir o que gosto e compartilhar o que me chama a atenção e que tenha a ver comigo. Mas, ultimamente me esbarrei com lindos animaizinhos de estimação em fotos engraçadas e com letras coloridas que se iniciam com o "Véi, na boa..." e depois uma observação divertidíssima! Comentei com minhas filhas e esposo e simplesmente morro de rir com as situações e com as frases inteligentes, que conseguiram captar o exato momento da "indignação" do cachorro/gato. Quando eu assisti o "Para nossa alegria", confesso que não ri de primeira... Tive que assistir pela 2ª, 3ª, 4ª vez, reparando em detalhes que dantes não havia percebido e, aí sim, gargalhei aos montes!!!! Sabia que tem uma hora que a mãe diz: "Vai comprar pão, Cibele."? A internet é uma ferramenta muito útil para qualquer coisa que você possa imaginar ( ou não). Uma vez, fazendo uma pesquisa sobre fé e religião, deparei-me com o macumba on line. Pode? Seu despacho de frango com farofa, cachaça, charutos e velas coloridas em qualquer tempo e no aconchego do seu P.C. Tem até a seção "Coloque o nome na boca o do sapo". Pensa na situação...
Realmente tem aqueles dias que a gente se sente prá baixo ou cansado, meio de saco cheio de você mesmo e dos outros e é aí que entra os memes, troll, youtube, piadas, uma frase mal colocada que se transforma em coisa engraçada e a sua vontade de rir explode e tudo se torna engraçado. E o mais interessante é que você se pega procurando por coisas divertidas, querendo rir mais, sentir aquela sensação de dor na barriga agradável que só a Dona Risada consegue promover.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Reencontros

Eu estava aqui lembrando... da época de colégio... Estudei no Colégio Emilie de Villeneuve de 1976 à 1988 como bolsista integral. Sempre fui boa aluna e também muito interessada em estudar, pois diferente de minhas colegas que tinham uma vida financeira mais confortável, a de minha família era mais simples. Meu pai sempre preocupado com o aluguel para vencer e o que colocar em nossa mesa e minha mãe "pegando em nosso pé" nas questões de boas maneiras e educação. Nossa vida era simples e muito privada, porém minha família sempre fora muito unida e amorosa. Lembro-me de meu pai sentado na poltrona a ler a Bíblia e citava sempre um parágrafo interesante em voz alta e discutíamos o conteúdo. Uma vez, cortaram a luz bem na véspera de Natal e minha mãe enfeitou a casa com velas e ficou cantolarando algumas cantigas natalinas. Eu, na minha percepção infantil, achei aquilo tudo tão lindo!!!!! Na época do Emilie, era um colégio só de meninas e éramos muito companheiras, com algumas diferenças... Mas até hoje, mais de 20 anos, mantemos contato e trocamos algumas palavras virtualmente. Quero mostrar que essa convivência e essa diferença de valores nos fortificou de tal forma que hoje possuímos todas, uma caráter inabalável. Obrigado Irmã Solange, que apertava nossos pescoços e que nós a lembramos com muito carinho; obrigado Irmã Marly e tantas
outras que não caberia nesse espaço e obrigado à todos que contribuíram de forma direta e indireta a formação de nossas virtudes!!!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Hoje é meu aniversário


Hoje acordei com um sentimento especial: é meu aniversário. Completei mais um ano, mais um ciclo, mais uma chance de (re)começar! 40 anos!!!! Não sei pq, ainda mais as mulheres, esconder a idade. Eu nunca gostei de mentir a idade, nem quando queria parecer mais velha. Uma vez, numa casa noturna, falei que tinha 30 anos para um grupo de pessoas e , na verdade, eu tinha 22. Ficaram todos admirados e assustados!! Como ter 30 anos com um rosto tão limpo? Oras... não ligo para embalagem. A maioria dos meus "namorificados" não eram nenhum tipo de top model da Ford ou da Elite. Meu esposo é bonito, sim, mas a sua beleza de caráter vai além da plástica.
Hoje está muito confuso e ser/ter, o que é e o que parece ser. Enfim...
Posso afirmar que hoje, aos 40 anos, estou mais madura, mais sossegada em alguns aspectos e mais cuca fresca. O bom dessa maturidade que vai chegando é poder optar ao que é mais importante e o que não é prioridade em nossas vidas.
Se hoje não deu, poderemos tentar no amanhã.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Julgamento de Lindemberg - Caso Eloá


Nos idos dos anos 80, minha irmã mais velha foi cruelmente assassinada pelo seu ex-noivo. O caso foi investigado "daquele jeito", testemunha sumiu, havia uma carta no caixão e nada de novo aconteceu. Passou-se quase 30 anos e hj compreendo a dor de minha mãe (q hj está c/ 74 anos) e faço uma idéia do sofrimento de minha irmã que foi arrastada, torturada e apedrejada. Reforma no Código Penal ou Pena de Morte? Não sei... Nunca trará Rita de Cássia, Eloá, João Hélio, Ives Ota, Daniela Perez e tantos outros de volta e nunca cicatrizará a ferida...

Verdadeiro apoio


Olha o q a minha grande amiga Paula Hoss fez para apoiar a minha pré candidatura pelo PSOL/SP.
Hj estou particurlamente feliz, pois os apoios e as admirações aparecem de onde menos esperamos mesmo!!!!!!!!!!!! Obrigado!!!!!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Acidente com trem da CPTM mobiliza bombeiros em SP


15/02/2012 09h36 - Atualizado em 15/02/2012 09h44
Acidente com trem da CPTM mobiliza bombeiros em SP
Onze unidades da corporação foram deslocadas para socorrer vítimas.
Acidente teria ocorrido próximo à Estação Vila Clarice.

Um acidente na Linha 7 – Rubi da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) mobilizou onze unidades do Corpo de Bombeiros por volta das 9h10 desta quarta-feira (15) em São Paulo, segundo a corporação. Ainda de acordo com os bombeiros, o problema aconteceu na Estação Vila Clarice, na Praça Comendador Souza Cruz, no Jaraguá, na Zona Norte da capital. As informações iniciais era de que havia sete vítimas envolvidas no acidente. Ainda não havia detalhes de como ocorreu o acidente.

Até as 9h30, a assessoria de imprensa da CPTM tinha apenas a informação de que havia uma ocorrência na Linha 7, mas não havia mais detalhes.

fonte: G1

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Sozinha trilhando o meu caminho

Eu sou pré candidata ao cargo de Veredora pelo PSOL/S.P. Quem me conhece sabe no que acredito e no que posso ajudar. Sempre me incomodei com a (falta) de condições a se sujeita o ser humano. Aprendi que vivemos numa rede. Rede esta que está interligada como uma teia de aranha. Somos totalmente dependentes, porém livres para nossas escolhas. Estou aqui, sozinha, fazendo minha pré campanha, divulgando do jeito que posso mas redes sociais, expondo minhas opiniões, aceitando propostas, dialogando com as pessoas nas ruas. Sinto que há um conformismo geral, uma desilusão coletiva. Também noto a que ponto de individualismo estamos vivenciando.
Tenho algumas pessoas que me auxiliam nesta trilha. Conversamos muito a respeito, entramos em discussões inteligentes e sadias. Levantei a questão de como pode um simples vídeo com conteúdo medíocre ter mais de um milhão de acessos em poucos instantes enquanto que o meu, tão realista, informativo e denuncioso não passa de 50 em três dias. Meu esposo comentou comigo um ponto muito interessante: as pessoas dão valor ao volúvel, ao idiotismo coletivo, tanto que elegeram o Tiririca como Deputado...
Eu acredito muito em mim, no meu potencial, na minha ideologia, nos meus atos e na minha essência. Precisarei de, no mínimo, 1.500 votos para me eleger. Estou sentindo maior apoio nas pessoas mais simples, humildes, trabalhadoras e tão descriminadas... Me admiro as pessoas que possuem uma certa formação cultural-intelectual-econômica e que se ausentam e se desviam de assuntos tão importantes. Às vezes, o apoio acontece de onde menos esperamos.

video

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

"Enquanto todos dormem"

"Enquanto todos dormem eu estou em lugares inimagináveis, matagais intransponíveis, bueiros Fétidos, casas abandonadas entre outros lugares que alguém normal se recusaria a ir.
Enquanto todos dormem eu estou em alerta máximo, tentando não apenas defender pessoas que nunca vi nem mesmo conheço, mas também tentando sobreviver.
Enquanto todos dormem no aconchego de suas casas, debaixo dos cobertores, eu estou nas ruas debaixo da forte chuva, com frio e cansado madrugada a dentro. Enquanto todos dormem eu estou travestido de herói e, mesmo não tendo super-poderes, estou pronto para enfrentar o perigo, para desafiar a morte e, quiçá, sobreviver.
Enquanto todos dormem estou dividido entre o medo da morte e a árdua missão de fazer segurança pública.
Enquanto todos dormem eu sonho acordado com um futuro melhor, com o devido respeito, com um salário justo com dias de paz, mas principalmente com o momento de voltar para casa e de olhar minha esposa e filhos e dizer-lhes que foi difícil sobreviver a noite anterior, que foi cansativo e até frustrante, mas que estou de volta, e que tenho por eles o maior amor do mundo.
Este texto eu dedico a todos os policiais que desejam voltar para casa vivo. O Policial Militar Alex Oliveira Suzarte, que foi morto durante uma perseguição a dois assaltantes na madrugada do último sábado (2101), escreveu um poema poucos meses antes de morrer relatando a rotina de ser policial. Intitulado de ‘Enquanto todos dormem’, o poema descreve algumas dificuldades enfrentadas pela vítima a cada turno do trabalho.